Governador que repete assinatura de ordem de serviço de obra que não sai do lugar é querer enganar o povo

 

Já disse em outras ocasiões que a leitura liberta, torna o cidadão livre. Pois bem, analisando os últimos episódios políticos de Bom Conselho, vemos que continua a enganação ao povo. O que representa a vinda do governador a Bom Conselho? Nada. Absolutamente nada!

As ruas continuam esburacadas. O lixo continua acumulado nas ruas. A iluminação de qualidade só existe em algumas ruas. O assistencialismo em nome da "boa caridade" continua em alta. A empregabilidade na prefeitura continua até o dia das eleições. A estradas vicinais continuam abandonadas. A feira livre e o trânsito continuam desorganizados. As 200 casas no bairro do Cigano continuam abandonadas, sem ser entregues a população.

Os atrativos turísticos da terra de Papacaça continuam esquecidos pelo poder público, mesmo trazendo o secretário de turismo do estado para a cidade soltar palavras vãs. Trazer governador, secretário de estado para apenas sair na foto, não vale de nada. Isso não quer dizer prestígio político. Essa é a política "tupiniquim" de Bom Conselho.

Aplausos pagos não leva a cidade para nenhum tipo de  desenvolvimento. Tomara que os eleitores bonconselhenses enxerguem isso no próximo mês de outubro na hora de votar. 

Repetir assinatura de ordem de serviço de uma mesma obra e ouvir as mesmas promessas obsoletas, não é sinônimo de prestígio político.

Pesquisando sobre o comportamento do Imperador Nero, que adorava ser aplaudido em praça pública, descobri:

"O ato de bater as palmas das mãos em sinal de aprovação tem origem desconhecida, mas existe há pelo menos 3 000 anos. Nessa época, o gesto era essencialmente religioso, popularizado em rituais pagãos de diversos povos como um barulho destinado a chamar a atenção dos deuses. 

No teatro clássico grego, tornou-se, então, a forma pela qual os artistas pediam à plateia que invocasse os espíritos protetores das artes. 

O costume chegou ao Império Romano, onde passou a ser comum nos discursos políticos. Preocupado com a repercussão de suas aparições públicas, o imperador Nero carregava uma claque com mais de 5 000 soldados e cavaleiros"

O tipo de política em Bom Conselho vem sendo nos moldes da época do Império Romano em pleno século XXI.

Postar um comentário

0 Comentários