A pessoa humana tem que ser tratada com dignidade, enfatiza geógrafo José Fabio

O dia da consciência negra, estabelecida pela lei n° 12.519 de novembro de 2011 é uma data para refletir sobre os direitos humanos e sobre valores que exatam a dignidade da pessoa humana. Não apenas para lembrar da morte do líder Zumbi dos Palmares, mas também de toda uma história e seus conjuntos de significados atrelado aos anseios de liberdade. 
     É dia de se pensar os males que ainda assombram o mundo, como o preconceito e a intolerância, buscando sensibilização e mecanismos e formas  que inibam tais problemáticas.
     A história do Brasil foi marcada por lutas e resistência às opressões e mesmo em pleno século XXI há um longo caminho para seguir. Apesar da riqueza étnica que é o povo brasileiro cujo o sangue tem traços negro, branco, asiático e índio, é preciso conquistar direitos, respeitos e valorização. A pessoa humana tem que ser tratada com dignidade e jamais diminuída ou discriminada pela cor. Somos uma só nação,  a riqueza corre no sangue e nossa cultura é rica pela mistura de diversos povos. 
     Que nesta data seja cultivada a cultura de direitos humanos,  a ética e o respeito a todos.
Texto: José Fábio dos Santos

Postar um comentário

0 Comentários