Bottom Article Ad


ORGANIZAÇÃO DO TRÂNSITO DE BOM CONSELHO NÃO PASSA DE UMA UTOPIA

 

De boas intenções o inferno está cheio, diz provérbio popular
Hoje parei um pouco para ouvir emissoras de rádio e o dial parou justamente na rádio Papacaça FM e naquele momento quem participava da programação era o guarda municipal, José Ilton, falando sobre o treinamento da GM para ajustar e organizar o trânsito de Bom Conselho. Até aí tudo normal...

As intenções da GM são as melhores, porém, não passam de boas intenções e digo o por que...

Analisemos...
1. Enquanto a GM estiver nas ruas acompanhada da Polícia Militar, poderá haver respeito ao trabalho dos guardas, mas, quando a PM sair de perto você acha que vão respeitar?

2. Pergunto, o GM quando estiver "trabalhando" na "organização" do trânsito e ver alguém ligado a prefeitura com o carro parado na rua atrapalhando o trânsito ou estacionado em lugar não permitido, ele vai abordar essa pessoa? Lógico que não! Vai ter de fazer vista grossa, senão será penalizado pelos seus superiores. Estou errado?

3. Para organizar o trânsito tem que ter funcionando a Autarquia de Trânsito que foi aprovada pela câmara de vereadores em 2012. Nessa autarquia tem que ter pessoas preparadas, qualificadas e que tenham feito no mínimo um curso sobre legislação de trânsito.

4. Para organizar o trânsito em Bom Conselho tem que sinalizar toda a cidade, a começar pela troca de todos os quebra-molas (fora de padrão) que existem na cidade.

5. Outro questionamento. Por que não acredito que a GM irá organizar o trânsito de Bom Conselho? Por que é uma questão cultural e de educação desrespeitar o Código de Trânsito Brasileiro (e o que for de lei) aqui na cidade. Temos exemplos de ocorridos na cidade, gente embriagada de moto, atropelar e matar e ficar impune.

6. Por exemplo, ninguém aqui na cidade de Bom Conselho usa o cinto de segurança, mas os mesmos motoristas daqui, quando chegam em Garanhuns, obedecem as leis de trânsito sem fazer cara feia. Por que isso acontece? Por que sabem que em Garanhuns tem ORDEM.

7. Aqui em Bom Conselho "o carona de moto" não usa capacete (que segundo informações, quando cheguei aqui há 13 anos, existiria uma determinação, não sei por quem, que "o carona de moto" para entrar na cidade e transitar normalmente, teria de tirar o capacete, por que na época, etc., estava havendo crimes por motoqueiros... E por ai vai!

8. Na hora que um GM começar a "pegar no pé" dos motoristas e motoqueiros infratores, logo, será visto como "o que ser dono da cidade", "já vão pedir arrego a vereador, secretário, prefeito", etc,. etc., e ai é onde entra o "apadrinhamento político", tirando o foco e a moral do GM. Exagero meu, pensar assim?

VEJAM BEM

Os artigos 54 e 55 do Código de Trânsito Brasileiro exigem a utilização do capacete de segurança para condutores e passageiros de três tipos de veículos: motocicleta (veículo automotor de duas rodas, com ou sem side-car, dirigido por condutor em posição montada), motoneta (veículo automotor de duas rodas, dirigido por condutor em posição sentada) e ciclomotor [veículo de duas ou três rodas, provido de um motor de combustão interna, cuja cilindrada não exceda a cinquenta centímetros cúbicos (3,05 polegadas cúbicas) e cuja velocidade máxima de fabricação não exceda a cinqüenta quilômetros por hora], sendo previstas, nos incisos I e II do artigo 244, as infrações de trânsito cometidas pelo descumprimento a esta obrigatoriedade.

Desde 1998, entretanto, o Conselho Nacional de Trânsito tem ampliado a obrigatoriedade de utilização do capacete de segurança, para os ocupantes de outros dois veículos: triciclo motorizado e quadriciclo motorizado.

FINALIZANDO
Para não esticar mais esse assunto, vou lembrar aqui um fato ocorrido tempos atrás...
Lembram do capitão Gil, oficial da PM renomado que começou a organizar o trânsito e botar ordem na cidade?
O que fizeram com o capitão Gil? 
Foram direto ao governador, solicitaram sua transferência de Bom Conselho (época que ele chegou a ser comandante da CIA de Polícia local). E assim, o capitão Gil (in memorian), não pode fazer mais nada. 
Ora, se o capitão Gil que tinha poder de Polícia, foi "escanteado", por ciúmes políticos e por estar sempre na mídia como reflexo do seu trabalho competente, como vou acreditar que a Guarda Municipal irá conseguir esse "feito"?
É quererem zombar da minha inteligência. Ponto.

Postar um comentário

0 Comentários