Por quanto tempo terá imunidade ao coronavírus


Se você é um dos milhões de brasileiros que já tiveram Covid-19, pode estar se perguntando por quanto tempo terá imunidade ao coronavírus. No início da pandemia, a maioria das pessoas assumiu que ser infectado tinha pelo menos uma vantagem: que você estaria protegido contra futuros contatos com o vírus. Mas, à medida que uma quarta onda se desenha no país e o SARS-Cov-2 não mostra sinais de abrandamento, as reinfecções parecem ter se tornado comuns. Muitas pessoas já estão relatando segundas ou até terceiras infecções com variantes mais recentes.


😷Antes da Ômicron, as reinfecções eram raras. Uma equipe de cientistas, liderada por Laith Abu-Raddad, da Weill Cornell Medicine-Qatar, estimou que uma contaminação com Delta ou uma cepa anterior de coronavírus foi cerca de 90% eficaz na prevenção de uma reinfecção em pessoas vacinadas e não vacinadas. Porém, “a Ômicron realmente mudou esse cenário”, disse Abu-Raddad, epidemiologista de doenças infecciosas.

🥼Depois que a Ômicron surgiu, as infecções anteriores forneceram apenas cerca de 50% de proteção contra a reinfecção, mostrou o estudo de Abu-Raddad. O coronavírus adquiriu tantas mutações em sua proteína spike que as versões mais recentes se tornaram mais transmissíveis e mais capazes de escapar da imunidade. Isso significa que você pode pegar uma versão da Ômicron depois de se recuperar de uma variante mais antiga, não Ômicron. Você pode até ficar doente com uma das subvariantes mais recentes da Ômicron depois de superar uma versão diferente dela.

🤧Especialistas afirmam que o coronavírus está evoluindo para se comportar mais como os vírus que causam resfriados comuns e infectam as pessoas repetidamente ao longo de suas vidas. No entanto, ele ainda não se encaixa em padrões sazonais claros, como os outros vírus comuns do resfriado. Atualmente, a vacinação é a melhor forma de prevenir resultados graves se você adoecer novamente.

Saiba mais no Portal #FolhaPE (link nos stor

Postar um comentário

0 Comentários