SERRA DO UMBUZEIRO E SUA ALTITUDE EXIGE FÔLEGO E DETERMINAÇÃO PARA CHEGAR AO CUME - CLÁUDIO ANDRÉ - O POETA

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Ultimas!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

SERRA DO UMBUZEIRO E SUA ALTITUDE EXIGE FÔLEGO E DETERMINAÇÃO PARA CHEGAR AO CUME

Nas rochas é fácil saber a qualidade do ar que estávamos respirando, pois, há espalhados nas rochas líquens das mais variadas cores, deixando o ar ainda mais limpo.

A Serra do Umbuzeiro, localizada no distrito do Riacho, é cenário para uma boa caminhada até o ponto mais alto de Paulo Afonso. O passeio envolve contato com a vegetação típica do semi-árido, belas formações rochosas de arenito, grutas, cavernas e pinturas rupestres. Do alto dos seus 500 metros, tem-se uma fabulosa visão em 360 graus do município de Paulo Afonso. 

O trekking em si não envolve grandes dificuldades, mas o sol forte cobra o seu tributo exigindo do visitante: chapéu, filtro solar e muita água. Veja que o piso do platô e de boa parte da subida da serra é feito de argila com arenito, que forma uma casca endurecida como se fosse a de um cágado.

Quando se chega a esse ponto, já se marca 400 metros de altitude acima do nível do mar. Para os trilheiros o local serve como mirante que fica na metade da subida, proporcionando uma bela vista do lado oeste da serra.

Quando chove na região, a água deixa esse piso ainda mais enrijecido. A argila misturada com arenito faz a rocha ficar fortalecida e com o vento e as altas temperaturas, as rochas ficam impregnadas no solo e com formato de biscoitos assados no fogo.

A primeira metade da subida é muito quente porque o vento costuma vir do lado leste e a gente sobe pelo lado oeste. Para pegar menos calor é interessante ir cedo pois subirá com sombra, pois o sol estará do outro lado. 


A área do município de Paulo Afonso é formada por planaltos e depressões, representada por solo cristalino e camadas sedimentares da Bacia Tucano-Jatobá. Entre os acidentes físicos encontram-se: Cachoeira de Paulo Afonso, com várias quedas – Croata, Véu da Noiva; o cânion do Rio São Francisco, que começa na Cachoeira de Paulo Afonso, entalhado em solos migmáticos pré-cambianos, arqueozóicos e a Serra do Umbuzeiro, no Povoado Riacho. 

Antes de começar a subida da serra do Umbuzeiro, fizemos uma pausa após uma caminhada de 1 hora e 30 minutos.
Há cerca de 40 km do centro de Paulo Afonso, encontra-se o local conhecido como Baixa do Chico, na divisa com o Brejo do Burgo, município de Glória. Ali existe um cânion seco de cerca de 12 Km, com curiosas formações de arenito - rochas sedimentares constituídas por areias aglutinadas por um cimento natural. O pico da serra chega a 515 metros, enquanto que a a base da serra tem 340 metros e a altitude a ser vencida no seu início é de 175 metros

Nenhum comentário:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE