TURISMO: CONHECER O CALDEIRÃO DO URUBU EM VENTUROSA É UMA AVENTURA E UM TESTE DE SOBREVIVÊNCIA NA CAATINGA - CLÁUDIO ANDRÉ - O POETA

Ultimas!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

domingo, 2 de setembro de 2018

TURISMO: CONHECER O CALDEIRÃO DO URUBU EM VENTUROSA É UMA AVENTURA E UM TESTE DE SOBREVIVÊNCIA NA CAATINGA

Com o amigo Gui, nosso guia de turismo, fizemos esse registro no início da subida do Caldeirão do Urubu, na zona rural de Venturosa. Com uma temperatura de 32 graus, sem chuvas desde maio, aos poucos a região estão mudando a cor da paisagem.

A árvore que é fácil de ver por todos os lados é o angico, onde suas bagens avermelhadas, secam e com o vento balançando os galhos, estralam e as sementes caem, proliferando ainda mais sua origem. Fiz essa imagem de cima do Caldeirão do Urubu, que tem seus 200 metros de altitude.

O riacho da Luiza, em Venturosa, secou, mas, o nome ficou para sempre. Conta uma das moradoras da comunidade que na época dos escravos, no século XVI, uma escrava chamada de Luiza, fugindo das garras de seus patrões, foi encontrada muito faminta e com sede, depois de correr por léguas a pé, ao tentar passar por um riacho da região, não suportou fazer mais esforço, acabou morrendo dentro do riacho, na escorria muita água. Eis o motivo do sítio em Venturosa, que antes pertencia a província de Arcoverde e depois a vila da Pedra, receber o nome de Riacho da Luiza.

O lajedo do Urubu, de cima, nos proporciona essa vista panorâmica sensacional. Vemos uma vegetação de caatinga misturada com várias geoformas de pedras. São rochas de vários tipos e tamanhos. Se um dia foi o fundo do mar, percebe-se na sua estrutura ambiental.

A serra do Padim Basto faz parte da região da Vila do Tará, comunidade que tem praticamente 200 habitantes e está localizada às margens da BR-424, uma das principais estradas que faz ligação do agreste meridional com o sertão do estado de Pernambuco.

O que dizer de uma imagem dessa? O mandacaru de um jeito diferente, onde mais parece uma taça. Todo o seu caule tem água. É um cacto originário do bioma da caatinga e essa imagem fiz na tarde desse sábado, 01/09, enquanto subia o lajedo do Urubu.

Tempo firme. Temperatura em elevação. Segundo meteorologistas, essa região do sertão pernambucano e outras partes sertaneja não tem influência da costa atlântica e sim da zona de convergência intertropical.

O conjunto de serras em toda a cordilheira que compreende os municípios que vão de Venturosa a Pesqueira, está vivendo já um período de estiagem, já que o mês de maio passado houve o último registro de chuva. De lá para cá, apenas rápidas pancadas de chuva que não serve nem para diminuir o calor da região.

Um mandacaru em cima de uma rocha granítica. Qual a explicação? Fácil de entender, água acumulada na pedra, mesmo não sendo muita já é o suficiente para ter vida em abundância para os cactos. Já dizia um macumbeiro que trabalhou comigo numa rádio em Alagoas, "sou igual a mandacaru, nem dou sobra, nem encosto". Não é que ele tinha razão!?

Existem rochas que são formadas por um único tipo de mineral. Essas nada mais são do que um mineral agrupado em grande quantidade, como é caso do quartzito, que é formado apenas por quartzo. As rochas são classificadas em três diferentes tipos, que variam conforme a sua gênese: sedimentares, ígneas e metamórficas.

As rochas podem ser classificadas de acordo com sua composição química, sua forma estrutural, ou sua textura, sendo mais comum classificá-las de acordo com os processos de sua formação. Pelas suas origens ou maneiras como foram formadas, as rochas são classificadas como ígneas, sedimentares, e rochas metamórficas.

Já pensou em curtir um clima de montanha em pleno nordeste brasileiro? Pois a região serrana de Pernambuco, que costuma registrar temperaturas mais baixas no inverno, é uma prova de que não é só de praias e aridez do sertão que se faz o estado. A possibilidade de vestir um casaco em meio a um cenário incrível, boa gastronomia e hotéis fazenda bem estruturados têm chamado a atenção de turistas de todos os cantos do mundo. No cume do lajedo do Urubu, na zona rural de Venturosa, à noite, por exemplo, a temperatura cai drasticamente, chegando aos seus 12 graus ou mais, afinal são 200 metros de altitude somente da grande rocha.

A imbira vermelha é a planta muito comum de encontrarmos no meio a caatinga, especialmente, durante o percusso da trilha do Urubu, em Venturosa. Há os rasga-beiço, umburana de cheiro, cipó e muita rama que se não for forte na pisada, acaba derrubando uma pessoa. A imbira vermelha serve como remédio para dor de barriga.

Esse registro fizemos em cima de uma das rochas onde seu piso tem formato de fundo do mar, ou seja, áspera, cores como o cinza, amarelo são fáceis de visualizar.

Cláudio André O Poeta, estudando, aprendendo e treinando o trste de sobrevivência na caatinga.
Com esse parceiro a aventura é garantida. Apresento-lhe o amigo GUIO, morador da Vila do Tará que fica há 04 km de distância do sítio Riacho da Luiza, em Venturosa. Quem deseja conhecer toda a região do Tará, procure o nosso guia de turismo, Luciélio Almeida Barbosa, mais conhecido por Guio ou Gui.

Nenhum comentário: