Senador volta atrás e Dia de Santa Dulce não será mais feriado nacional

 


Após a aprovação do projeto no Senado que previa um feriado nacional, o senador baiano Ângelo Coronel voltou atrás e decidiu mudar a proposição.

Com a decisão, o projeto em homenagem à Santa Dulce dos Pobres deixa de propor um feriado nacional e propõe apenas um dia nacional. A data da homenagem também foi modificada.

De acordo com o Senado, o parlamentar decidiu fazer as mudanças no projeto para evitar impactos econômicos de um novo feriado no país, além de minimizar as possíveis dificuldades na aprovação da iniciativa.

Com a mudança, o dia 13 de agosto, e não mais 13 de março, passa a ser o Dia Nacional da Santa Dulce dos Pobres, desde que seja aprovado na Câmara. A data foi escolhida porque já é tradicionalmente o dia de homenagens à Santa Dulce na Bahia.

O projeto foi aprovado no Senado na última quinta-feira (18), e agora será analisado na Câmara de Deputados.

Atualmente, os feriados nacionais de origem católica no Brasil são cinco: Paixão de Cristo, Corpus Christi, Nossa Senhora Aparecida, Dia de Finados e Natal. A Bahia ainda conta com o feriado de Nossa Senhora da Conceição, padroeira do estado.

Celebrada entre os católicos brasileiros, a primeira santa nascida no Brasil reúne diversos motivos para a homenagem. Irmã Dulce nasceu em 1914 em Salvador e dedicou sua vida para ajudar os mais pobres.

"Irmã Dulce construiu o que se tornaria depois o maior hospital da Bahia, a partir de um galinheiro. E em 1959 foi criada a Associação Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), seguida pelo Albergue Santo Antônio. Ela foi o anjo bom da Bahia, admirada nacional e mundialmente porque viveu única e exclusivamente para ajudar os mais pobres", defende o senador baiano na justificativa do projeto.

Postar um comentário

0 Comentários