SERRA GRANDE O BERÇO DO RIO SALGADO (por José Fabio dos Santos Bezerra) - CLÁUDIO ANDRÉ - O POETA

Ultimas!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

sábado, 6 de junho de 2020

SERRA GRANDE O BERÇO DO RIO SALGADO (por José Fabio dos Santos Bezerra)

José Fabio dos Santos Bezerra - Geógrafo


SERRA GRANDE O BERÇO DO RIO SALGADO: 
ANÁLISE DA NASCENTE DE UM DOS RIOS DE BOM CONSELHO (TEXTO 1)

José Fabio dos Santos Bezerra


RESUMO: O presente texto traz um breve relatório da trilha realizada no último dia 31 de Maio de 2020. Com base na experiência de campo e na reflexão sistêmica foi norteado um caminho para abordagem desse pequeno artigo. O objetivo desse trabalho é documentar acerca da região da nascente do rio salgado na região da Serra Grande no município de Bom Conselho que se localiza no Agreste Meridional do Estado de Pernambuco.

PALAVRAS CHAVES: Rio Salgado. Nascente. Serra Grande. Bom Conselho.

INTRODUÇÃO:
      Seguindo uma estrada vicinal próximo ao posto fiscal, logo após deixar a BR 218 em uma manhã chuvosa no dia 31 de maio de 2020, rumo a oeste em direção a Serra Grande, região serrana do município de Bom Conselho em busca da nascente do rio salgado. Solo encharcado, céu carregado por nuvens do tipo Nimbostratus que provocava uma chuva intermitente que contribuía com a alimentação do lençol freático que alimentava a nascente do rio salgado e recarregava os riachos tributários do Salgadinho.

       Essa chuva acabava sempre contribuído para uma maior massa d' água que  fluía contornando o relevo, passando pela cacheira do poço escuro e seguia rumo ao estado de Alagoas em direção ao Rio Traipu que por sua vez seguia rumo ao São Francisco, configurando assim um sistema, ou ainda um geossistema onde é possível ver claramente a interação entre a Atmosfera  por meio dos ventos alísios que transportava a umidade do oceano que condensava e precipitava alimentando o curso d' água.

       Como parte do Geossistema, também era notável a influência da Geomorfologia da região, o relevo contribuía para o escoamento dos rios e riachos drenando a água precipitada nas áreas altas para as regiões mais baixas que convergia essa água em sua bacia hidrográfica. 

É parte desse Geossistema o solo da região que é erodido por esse rio e seus riachos tributários, por sua vez, as rochas ricas em minerais desagregadas pelo intemperismo, fornecia ao curso d' água sedimentos minerais e o cloreto de sódio que dava o teor salgado daquelas águas.

        Não se pode esquecer-se do Ecossistema daquela região que tem correlação com os outros elementos aqui comentados. A vegetação, os pássaros e animais que habitam aquele ambiente que possui uma relação com os seres abióticos, são parte que compõe a paisagem. A região da Serra grande abriga espécie típica da Caatinga e seres vivos típicos de área de transição.

        É possível ler a paisagem do lugar e interpretar a relação entre o homem e o meio, pois os sistemas socioeconômicos também interagem com o geossistemas da Borborema (nesse caso o contexto da serra grande em Bom Conselho): marcas da agropecuária foram verificadas, as próprias estradas vicinais são por si só uma feição humana na paisagem da geografia do lugar que tem como função permitir o fluxo de pessoas e eventuais produtos.  A presença de casas é evidência do uso do solo para além das atividades agropecuárias era usado para residências. 

O somatório de elementos da paisagem do lugar, ou seja, o todo, desde climatologia, geologia, hidrografia, geomorfologia e a presença humana no lugar, configura o sistema  de interações no espaço geográfico.
      Como já é evidenciado, o objetivo desse artigo é documentar a região da nascente de forma breve. Essa documentação é baseada na visita de campo onde foi possível coletar empiricamente por meio dos órgãos do sentido a percepção da dinâmica do objeto desse trabalho.
METODOLOGIA:
        O campo é o laboratório do geólogo e também é o laboratório do geógrafo, parafraseando com Press et al (2008). Por meio da visita se pode coletar dados e informações visuais do objeto de estudo e se pode contemplar o fenômeno estudado.

        Por esse artigo ser norteado pela abordagem sistêmica que é um método de abordagem bastante utilizada na pesquisa em Geografia Física e em estudos ambientais, foi necessário realizar uma revisão da literatura científica. 

Os textos lidos antes de escrever esse artigo são fundamentais para referencial teórico e para a utilização precisa de termos e conceitos geográficos e para fundamentar as argumentações que devem serem empregadas para abordar a região da nascente do rio Salgadinho, a base conceitual é importante para elucidar as feições geográficas da Serra Grande.
           Vários autores trabalham a abordagem sistêmica em suas pesquisas tais como Vicente e Filho (2003), Vale (2012), Neves et al (2014), Nascimento e Sampaio (2005); além de muitos outros teóricos. A Teoria Geral dos sistemas foi proposta por Ludwig Von Bertalanffy que contribui como conceito chave na pesquisa científica. Na área da Geografia, autores clássicos trouxeram uma contribuição imensa, sobre tudo o conceito de geossistema, os principais nomes são Sotchava, Jean Tricart, Georges Bertrand, Antônio Christofolleti, Helmunt Troppmair e Carlos Augusto de Figueiredo Monteiro.
        Esse artigo se justifica pela importância de se documentar e contribuir desse modo com o conhecimento geográfico do município de Bom Conselho. É interessante trazer à sociedade a ciência da Geomorfologia, ou seja, o comportamento do Planalto da Borborema e suas relações com a hidrografia do município.
RESULTADOS:
         O rio salgado nasce na Serra Grande em Bom Conselho e tem ao longo de seu curso ravinas e riachos tributários. Seu percurso segue em direção ao rio Traipu onde despeja as suas águas, este por sua vez segue em território alagoano até despejar no Rio São Francisco. Em outras palavras, o rio salgadinho apesar de ser relativamente de pequeno porte, ele faz parte do sistema de bacia hidrográfica pertencente ao São Francisco, uma vez que este curso de água tem relação direta com o Traipu que é um rio tributário do Rio São Francisco.
         A região da nascente se localiza em áreas com relevo pertencente ao Planalto da Borborema que é caracterizado por formações arredondadas de morros e serras, bastantes dissecados e erodido pela ação dos agentes exógenos como vento e a chuva ao longo do tempo. Esse sistema geomorfológico da Borborema está situado entre o Rio Grande do Norte e Alagoas e é muito presente na paisagem do Agreste Meridional Pernambucano.
         Na região da Serra Grande, a presença da Borborema é definida como um conjuntos de serras com formação arredondadas com altitude de 850 m à 1020 m. É possível ver nos pontos altos da serra blocos rochosos que são típico do  escudo cristalino, as rochas cristalinas são antigas, foram produzidas no período geológico do Pré Crambiano.
        A nascente do rio salgadinho se localiza em uma região de relevo, de acordo com Zanin et al (2013) esse tipo é denominada de "Nascente Orográfica", nesse caso o relevo é determinante no escoamento subterrâneo, esse tipo de nascente depende muito da precipitação, em razão de sua menor área acumulada (ZANIN et al 2013). 

Por sua vez uma nascente de planície que é também elucidada por Zanin et al (2013) que não é o caso da nascente do rio salgado, é a feição que possui maior área de acumulação e menor velocidade de escoamento, ao contrário das nascente orográfica, esse tipo de nascente de planície tende a ter escoamento relativamente lento e maior área de acumulação que faz desse tipo de nascente ser perene.
         Sendo então a nascente do Rio Salgado ser do tipo orográfico, ou seja, o relevo contribui para acelerar o escoamento e sua área de acumulação é menor, isso faz dessa nascente uma feição dependente da precipitação contínua para que ele mantenha o seu fluxo alimentando o rio.
           Na visita de campo, foi observada a relação da vegetação com o clima, por está no período chuvoso no contexto da visita foi constatado a resiliência da vegetação de caatinga que outrora seca, no momento da pesquisa estava verde e exuberante: isso evidencia a interação do clima com a vegetação. Verificou-se o aumento do rio com as chuvas, a correnteza com velocidade considerável vinda de áreas mais altas. Os conjuntos de todas essas dinâmicas expressam o geossistema local.

Nesse contexto de geossistema Nascimento e Sampaio (2005) em seu trabalho trouxe aspectos relacionados à geografia física e as relações com a Teoria Geral dos Sistemas. Press et al (2008) em seu livro "Para entender a Terra" além de trazer conteúdos de Intemperismo, erosão, formação e estrutura do Planeta Terra, mineralogia, ciclo da rocha e muitos materiais relacionado a Geologia, traz conteúdos voltados aos sistemas da Terra que pode ser correlacionado na abordagem voltada ao nascente do rio salgado na serra grande. 

Esse autor elucida que o sistema de tectônica de placa que produz o relevo que por sua vez este relevo é afetado pelo sistema do clima sofrendo processos erosivos e produzindo efeitos orográfico, o sistema do clima ainda influencia as bacias de drenagens e vegetação que se desenvolve no relevo. 

De acordo com Press et al (2008) os subsistema   específicos que encerra elementos característicos da dinâmica terrestre são chamados de Geossistemas ( PRESS et al 2008).
         Na figura 1 e 2 é observado parte do rio salgado na proximidade de sua nascente (parte do geossistema), é possível observar a vegetação no entorno. A coloração da água é indicador de presença de sedimentos inconsolidados transportado pela água.

Figura 1:  Mata ciliar em torno do Rio Salgado. Fonte: Acervo do autor.
Figura 2: Poção do rio mais próxima a nascente. Fonte: Acervo do autor

        Nas figuras abaixo é possível observar a presença do Planalto da Borborema no município de Bom Conselho, as serras do município são distribuídas nas partes leste, sudeste, sul, sudoeste e oeste. Na figura 4 é mostrada a região onde se localiza a serra grande: poção sudoeste do município. Na imagem 5 é mostrado a poção do rio (linha azul) próxima a nascente.
Figura 3: Áreas serranas do município de Bom Conselho. Fonte: Google Maps. 
Figura 4: Região onde se localiza a Serra Grande. Fonte: Google Earth.   
Figura 5: Região da nascente do rio salgado. Fonte Google Maps.

CONCLUSÃO:
         O presente artigo foi um breve relatório da visita de campo no último dia 31 de Maio de 2020, ocasião em que foi visitada a região da nascente do rio salgado na Serra Grande município de Bom Conselho Pernambuco. A presença da Borborema é um importante divisor de águas de diferentes bacias hidrográficas na região do Agreste Meridional e abriga feições geográficas que originam nascentes como a do rio salgado.
      A região da serra grande é uma poção do geossistema de Bom Conselho onde podemos observar a interação de vários elementos como relevo, hidrografia, clima, vegetação, solo e a presença humana. Com um olhar geográfico se contempla a relação de todos esses elementos com a configuração do rio salgadinho.
         O rio salgado ganha vida e muita vitalidade em anos com períodos chuvosos mais intensos, pois é um corpo de água que depende muito da dinâmica das chuvas. Portanto, o melhor período de contemplar a força do seu curso d' água é nos meses mais úmidos do ano. Foi deduzido com base na pesquisa de revisão de literatura que a nascente do rio salgado é do tipo orográfica e o relevo da serra grande tem influência acelerando o seu escoamento e faz essa feição ser dependente das chuvas.
       Ao percorrer a estrada vicinal, era possível ouvir o som das águas que corria pelo riacho que alimenta o rio salgado, um barulho que tranquiliza a mente enquanto se olhava a imponência do relevo em volta. É evidente que o belo da paisagem da serra grande é convidativo e até mesmo atrativo a quem aprecia uma boa prática de ecoturismos e que sabe explorar de modo sustentável as potencialidades de uma poção do espaço.
           
REFERÊNCIAS:
NASCIMENTO, F, R. SAMPAIO, J, L, F. GEOGRAFIA FÍSICA, GEOSSISTEMAS E ESTUDOS INTEGRADOS DA PAISAGEM. Revista da Casa da Geografia de Sobral. 2005.
NEVES, C, E, et al. A IMPORTÂNCIA DOS GEOSSISTEMAS NA PESQUISA GEOGRÁFICA: UMA ANÁLISE A PARTIR DA CORRELAÇÃO COM O ECOSSISTEMA. Uberlândia 2014.

PRESS, F, et al. PARA ENTENDER A TERRA.  4 edição. Bookman 2008.
VALE, C, C. TEORIA GERAL DO SISTEMA: HISTÓRICO E CORRELAÇÕES COM A GEOGRAFIA E COM O ESTUDO DA PAISAGEM. Entre-Lugar Dourado MS, 2012.
VICENTE, L,L. FILHO, A, P. ABORDAGEM SISTÊMICA E GEOGRAFIA. Geografia Rio Claro v. 28 , N. 3, p. 323-344. 2003.
ZANIN, P,R, et al. CARACTERÍSTICAS HIDROGRÁFICAS DE NASCENTE EM DIFERENTES MODELADOS DE RELEVO. XX Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos. Novembro de 2013.

Nenhum comentário: