CHICO DOIDO, UMA FIGURA IMPOLUTA (por Alexandre Tenório) - CLÁUDIO ANDRÉ - O POETA

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Ultimas!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

CHICO DOIDO, UMA FIGURA IMPOLUTA (por Alexandre Tenório)

COLUNA ENSAIO GERAL
CHICO DOIDO, UMA FIGURA IMPOLUTA.

Nascido em 1952 na vila de Barra do Brejo com o nome de Francisco António da silva. Chico Doido é a figura folclórica mais importante que nossa cidade já teve de todos os tempos. Para os senhores terem uma ideia da sua importância para nossa cidade, é o nome dele que consta na história de nosso município nos anais da FIDEM, órgão do governo do estado responsável pelas informações de todos os municípios do estado.
    Chico não precisa ser convidado para nenhuma festa, se ele cismar ele vai com a maior cara de pau, se for casamento leva um presente para os noivos. É o primeiro a chegar e o último a sair, toma seu refrigerante e come todos os tipos de doces e salgados, só não come do bolo, não tem quem o faça comer bolo, cismou e pronto. Também se não gosta de algum dos noivos, sai dizendo a todo mundo que não vai ao casamento, pois não gosta de tal pessoa.
    Qualquer notícia que chega aos seus ouvidos ele sai na rua contando, é o nosso reporte numero um, como bate a cidade toda, é mesmo que um carro de som. Tem uma paixão - gosta de cavalhada - e é torcedor doente do azul, quando o azul perde ele sai dizendo que nunca mais vai ver uma cavalhada, porém na próxima, lá esta ele torcendo.
    Na política é pé quente, do lado em que ele torce, não perde política. Um fato engraçado que aconteceu recentemente foi na política de Audálio contra Judite - ele ficou com Judite, e Audálio perdeu, pois bem, na outra eleição que Judite foi candidata à reeleição, todos pensavam que ele estava com ela, é quando desce o arrastão de Danilo e veja quem estava logo na frente com um buque de flores, Chico Doido, quando o pessoal de Judite viu, deu o maior banzo e disseram, vamos perder, e não deu outra, ganhou Danilo. Porém a maior de todas, foi na grande política que Dr. Daniel Brasileiro foi candidato a prefeito, praticamente sem ter condições de ganhar, pois estava disputando com três ex-prefeitos, Chico ficou com Daniel e ele venceu as eleições.
    Chico quando encarra um cristão atrás de uma coisa, só sossega quando consegue e o infeliz se vê doido. Ele é o que chamamos de sangue-sunga. Ninguém em nossa cidade recebeu e recebe tantos presentes como Chico (calças, meias, toalhas, camisas, calçados...). Confesso que tenho curiosidade de saber o que ele faz com tantos presentes. Quando vai para o Juazeiro chega de lá com uma pequena fortuna no bolso, pois pede a todo mundo – DA UM DINHEINHO AI – se existe um ser humano que não tem vergonha de pedir é Chico.
    Contam que quando criança achou um berço velho e saiu empurrando ele, naquele meio o berço bateu em uma pedra e desmanchou e Chico caiu com a cara nos destroços, e um prego entrou na sua boca, foi um chororô maior do mundo.
    Não perde um enterro por nada neste mundo, vai logo à frente cantando e com um buque de flor. Porém, não tem quem o faça entrar no cemitério, quando o enterro vai chegando perto do portão ele vai saindo de fininho.
    Chico chegou aos 67 anos com uma fisionomia de jovem, ninguém diz que ele tem esta idade, preocupação não é o forte dele. Chico tem uma tosse crônica e tem a mania de ficar mordendo a língua, estas duas mogangas são suas marcas registradas.
    Foi apaixonado politicamente por Manuel Luna, e hoje é apaixonado politicamente por Dr. Daniel, para os senhores terem uma ideia, quando Dr. Daniel foi prefeito, existia uma foto dele com Chico no birô. Porém tem personalidade forte, quando Audálio foi candidato contra Judite, Daniel fez de tudo para ele torcer por Audálio e ele dizia – SE FOSSE VOCÊ DANIÉ EU VOTAVA. Quando Manuel Luna foi vice de Walmir, também fez o possível para ele torcer por Walmir, pois, ele fazia parte da chapa e ele não torceu, pois, o candidato não era Manuel Luna e sim Walmir, que ele odiava. 
    Termino aqui um pouco da vida deste bom-conselhense, que embora DESPOMBALIZADO do juízo, tem muitas histórias em nossa cidade.

Nenhum comentário:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE