NATUREZA: UMA NASCENTE QUE NUNCA SECA ESTÁ NA ZONA RURAL DE TEREZINHA/PE - CLÁUDIO ANDRÉ - O POETA

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Ultimas!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

NATUREZA: UMA NASCENTE QUE NUNCA SECA ESTÁ NA ZONA RURAL DE TEREZINHA/PE

No sítio Panasco há essa nascente na propriedade rural do senhor Zé Monteiro
Existem rochas que podem armazenar água, como gase e até petróleo. No geral são rochas POROSAS, a água fica entre esses poros. Essa água pode sair sim da rocha, se houver fissuras, ou relevo inclinado, ou num vale... De diversas outras maneiras. O nome da ciência que estuda essas características mais a fundo é a Hidrogeologia.

Você já ouviu falar no sítio Panasco? Não? Pois bem, fica na zona rural do município de Terezinha, agreste meridional de Pernambuco. Há 3 mil metros da sede do município você encontra uma nascente d'água que é perene. A água sai de dentro de uma pequena rocha e logo o acúmulo d'água se transforma num grande lago.

De perto pude perceber o quanto a natureza nos ensina e nos educa. Cuidar dos mananciais é o melhor caminho.
Há 03 km do centro da cidade de Terezinha tem o sítio Panasco e numa propriedade rural tem uma nascente que verte água de uma pedra. As águas do subsolo estão sendo utilizadas pelo homem desde os primórdios das civilizações, muito embora haja evidências apenas em torno de 12.000 anos a.C. 
O Velho Testamento é rico em passagens interessantes, como a de Moisés, que batendo com seu cajado na pedra, fez jorrar água, referindo-se a uma fonte. Cita também o poço de José, no Cairo, com 90 metros de profundidade. 
Há cerca de 5.000 anos a.C os chineses já perfuravam poços com mais de 100 metros de profundidade, utilizando-se de equipamentos confeccionados com bambu.

A fonte d'água fica na propriedade do senhor Zé Monteiro, agricultor que colabora com os mais de 60 moradores do sítio Panasco doando água gratuitamente. Á água é doce e serve para o consumo humano. O projeto Poeta Viagens e Aventura descobriu essa nascente no município de Terezinha.

A convite do senhor Donizete (chapéu de coro), fomos conhecer a fonte de água doce do senhor Zé Monteiro. A rocha cravada no solo, sem nenhum reflorestamento por perto, brota água ininterruptamente, tornando a fonte perene. Segundo os especialistas, todo olho da água é entre rochas. Cerca de 61% da população brasileira é abastecida para fins domésticos por águas subterrâneas, sendo 6% por poços rasos, 12% por fontes e 43% por poços profundos. Em torno de 15,6% dos domicílios utilizam exclusivamente água subterrânea.


A propriedade do senhor Zé Monteiro tem pelo menos mais 03 nascentes perenes. Entra inverno, sai verão e as fontes naturais nunca secam. Em 15 hectares de terra, da para perceber que o lençol freático é muito rico, eis um dos motivos de verter tanta água numa única propriedade rural. As águas subterrâneas representam a fração do Ciclo Hidrológico que “(…) ocorre naturalmente ou artificialmente no subsolo″. O volume total dessas águas, que podem ser doces, salobras ou salgadas, é de cerca de 23,4 milhões de km³. Desse volume se destaca uma parcela de 12,8 milhões de km³ de água doce, o que corresponde a 96% do volume de água doce economicamente disponível no planeta.


A tonalidade da água é azul, mas, seu gosto é de pura água doce...
A água das chuvas que penetram no solo, vão para os lençóis freáticos (baixa profundidade) ou para os aquíferos (alta profundidade). Quando aumenta a pressão, a água sai entre as rochas, e forma o que chamamos de nascentes. Ela sai por uma fissura criada em uma rocha por causa da pressão. Ela também pode sair da terra com a pressão formada no solo, como o geiser. 

Nenhum comentário:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE