DEIXAR O FILHO VOAR E FICAR APENAS OLHANDO, É O CERTO? - CLÁUDIO ANDRÉ - O POETA

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Ultimas!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

DEIXAR O FILHO VOAR E FICAR APENAS OLHANDO, É O CERTO?

Continuando a minha saga de leitura matinal e dando continuidade ao livro "O código da inteligência" de Augusto Cury, me deparei com o seguinte recado:

"Porém, é necessário deixar os filhos caminharem com suas próprias pernas. Nós os deixamos partir para que eles se encontrem. Nós recolhemos a pena e o papel para que eles escrevam a sua história. Nós deixamos superprotege-los para que saiam de nossa sombra e construam sua segurança".

Pergunto, devemos largar de mãos essa superproteção? Em um mundo da facilidade e do experimento gratuito que vivemos, estão errados os pais que superprotegem seus filhos, é isso?

Eu, particularmente, estou sempre "pegando no pé" de meus filhos e filhas, orientando-os, muitas vezes, cobrando mesmo, responsabilidades para que não sejam frágeis nas oferendas que o mundo moderno tem a oferecer. Estou errado agindo assim?

E os pais que nada fazem? Cruzam os braços, relaxam, esquecem e muitas vezes, abandona-os, o que dizer deles? Há muito o que se questionar quando se trata de educar os filhos, especialmente, nos dias atuais.

A grande questão é: Até onde o limite e a imposição para com os filhos venham a atrapalhar a maneira de educar os filhos, até por que, educação começa em casa, a escola apenas o prepara para enfrentar as concorrências que a própria vida apresenta.

Lendo ainda, Augusto Cury, ele diz mais na frente: "Muitos filhos só irão reconhecer a grandeza de seus pais quando os sofrimentos diminuírem o heroísmo deles, quando baterem asas de encontro às adversidades. É necessário deixá-los voar para que decifrem o Código da Resiliência".

Agora entendi, por que é comum vermos nos velórios dos pais, filhos chorando no "pé do caixão", pelo jeito é mais remorso do que tristeza profunda pela perda.

Então, vamos aprender juntos valorizar quem se preocupa de fato com a gente.

Bom dia a todos!

por Cláudio André O Poeta

Nenhum comentário: