Bottom Article Ad

STF DECIDE QUE A SÁTIRA É UMA LIBERDADE DE EXPRESSÃO QUE NÃO FERE A CONSTITUIÇÃO BRASILEIRA

O Congresso Nacional bem que tentou, modificando a Lei para que a sátira com políticos não existisse no País, mesmo indo de encontro contra a Lei de Liberdade de Expressão. O Supremo Tribunal Federal merece elogios por entender que tal atitude dos congressistas foi de encontro a Constituição e por isso está decidido definitivamente que a sátira deve permanecer como uma opinião e um relato sincero da realidade que vive nossa atualidade.
Os políticos brasileiros queriam calar o SORRISO, queriam penalizar todos aqueles que são livres de pensamento e que fazem do HUMOR um momento menos trágico com os desmandos dos "profissionais da política".
O ministro Alexandre de Moraes, foi categórico: "Se não quer ser satirizado não saia de casa, não se candidate a nada, não seja uma pessoa pública. Desde que o mundo é mundo, sempre existiu a sátira, finalizou o ministro".
Essa opinião do ministro Alexandre, é uma tapa na cara dos políticos que se acham intocável, se acham que são os raios do sol.
Aqui em Bom Conselho, por exemplo, tem político que não gosta de ser criticado (a) e olha atravessado para os que tem liberdade de expressar-se diante dos descasos públicos.
O entendimento do STF, deixa claro que ninguém está acima da Constituição Federal. Nenhum político é insubstituível e merece ser criticado, sim, especialmente quando não exercer sua real função. 
A sátira é uma manifestação popular e está dentro da Lei de Imprensa e da Liberdade de Expressão. Os nossos humoristas são os transmissores da alegria mesmo quando o políticos vivem do trágico.
Não podemos esquecer que os românticos retrataram Gregório de Matos como um escritor ébrio, boêmio e obsceno. Afastando-se desses clichês, Hansen analisou a obra do poeta barroco em confronto com a retórica do período, com suas regras específicas de obscenidade e maledicência.
Já escrevi em outras ocasiões que os políticos gostam de tragédia, de miséria, etc., justamente por que investem pesado na compra de votos, aparecendo como os "salvadores da Pátria". Pense nisso!
Viva a Liberdade de Expressão e Sátira Brasileira.

Postar um comentário

0 Comentários