LAJEDO DO PAI MATEUS/PB: UM DOS GRANDES PRESENTES QUE GANHEI DE 2019 - CLÁUDIO ANDRÉ - O POETA

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Ultimas!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

LAJEDO DO PAI MATEUS/PB: UM DOS GRANDES PRESENTES QUE GANHEI DE 2019

O ano de 2019 está no seu último mês, posso dizer que muito aprendi, muito viajei, conheci lugares maravilhosos, vivi com culturas diferentes. Cada viagem e cada lugar foi uma grande vivência como pessoa e como profissional na área da turismo. O lugar que realizei o sonho de conhecer foi o Lajedo do Pai Mateus, lugar que viveu um ermitão do século XVIII em pleno sertão do Cariri da Paraíba.
Vivenciar o pôr do sol no Lajedo do Pai Mateus, foi uma experiência indescritível. Um grande presente de 2019. Nos próximos dias estaremos em uma nova aventura turística pelos sertão do Pajeú pernambucano.

Dentro de mais caverna. Dentro de uma das rochas gigantescas do Lajedo do Pai Mateus podemos presenciar um pôr do sol inimaginável. É como se estivéssemos em outra galáxia.

No pé do Lajedo do Pai Mateus, há uma açude feito pelas autoridades do município de Cabaceiras/PB, que acumula água das chuvas que caíram há meses passados. Com a longa estiagem, a água passa por mudança de estado, ou seja, sai do sólido para o gasoso, é a famosa vaporização.

CASA DO PAI MATEUS - CURANDEIRO DO SÉCULO XVIII
NESSE LOCAL HOUVE VÁRIOS RITUAIS PELO CURANDEIRO

As vezes a vida te leva para lugares que se tornam um sonho que você nem havia sonhado. Foi isso que me ocorreu durante um momento de silêncio absoluto no meio do Cariri Paraibano, num canto chamado Lajedo de Pai Mateus, há dias passados. 

O Cariri Paraibano é uma região do Sul da Paraíba que conta com 29 cidades, possuindo um clima semi-árido, com pouquíssima chuva. Se você quiser encontrar-se o Lajedo do Pai Mateus é o lugar ideal. Viva essa experiência!

O nome do lajedo vem de um curandeiro que teria vivido na região entre o final do séc XVIII e início do XIX. Provavelmente de origem indígena, ou com alguma miscigenação com negros. Sabia curar tudo e morava embaixo do maior dos matacões lá de cima. Mateus escolheu bem o lugar para morar!

Finalizei minha visita ao Lajedo do Pai Mateus fotografando o encontro da noite com o fim de tarde num cenário místico e energizante. Quer ir conhecer? Entre em contato conosco, promovemos passeios para lá.

Nenhum comentário:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE