JOSÉ MARIA PEREIRA MELO (HOMENAGEM) por Alexandre Tenório - CLÁUDIO ANDRÉ - O POETA

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Ultimas!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

quinta-feira, 21 de março de 2019

JOSÉ MARIA PEREIRA MELO (HOMENAGEM) por Alexandre Tenório


COLUNA ENSAIO GERAL

        JOSÉ MARIA PEREIRA DE MELO (FINAL)

            Finalizando esta minha homenagem a este importante bom-conselhense – transcrevo - este artigo do meu livro “A TENDA DE ZÉ BIAS”.
                       
                ABRAÇO DE COMPADRE
    Nos final dos anos 50, com o Brasil embalado no futebol, não respeitando ninguém, em Bom Conselho não podia ser diferente. Qualquer partida que havia todo mundo estava atenta no rádio, ouvindo os jogos.
    Havia aqueles que torciam contra o Brasil. Acredito que era mais para fazer pirraça do que propriamente por ser realmente contra o Brasil. Um desses do contra, era Florisval Vanderlei.
Toda vez que o Brasil jogava, lá estava Florisval torcendo contra, e isso enchia o saco da turma. Foi quando, na copa do mundo de 1958, numa partida do Brasil contra a União Soviética, onde estavam todos ouvindo ao jogo na Farmácia de Marne Urquiza, que Florisval ficou secando o Brasil.
O nosso saudoso Basto de Sá era quem preparava as bebidas, nos tubos de ensaio que existiam na farmácia; quem tomava os coquetéis dizia que ele levantava até defunto.
    Jogo muito disputado, com Garrincha matando a pau os gringos, a turma já estava mais para lá do que para cá e Florisval ali, torcendo contra o Brasil. De repente, o Brasil faz um ataque perigoso; Dr. José Maria Pereira de Melo, já cheio dos coquetéis, dá uma enrolada na cortina, voando cortina ladrilho para todo lado. E Florisval ali, torcendo contra o Brasil. É quando o Brasil faz um gol e foi aquela zorra total. Nesta euforia, ouve-se um gemido e todos se deparam com Florisval estendido no chão, gritando de dor. No primeiro momento, espantos; e, seguida, o socorro.

O fato é que na hora do gol, Dr. José Maria deu um abraço tão forte em Florisval que quebrou três costelas e quando o sentou no chão, descolou o fêmur. Levaram Florisval para casa e lá chegando àquela multidão, dona Hilda se apavorou: Florisval estava estendido numa maca. Foi ai que Dr. José Maria disse: não foi nada não, comadre, foi só um abraço que eu dei no compadre. Mais tarde se constatou a fratura das três costelas e o deslocamento do fêmur.

    Deste dia em diante ninguém queria assistir jogo ao lado de Dr. José Maria, muito menos quando o Brasil jogava.
    Termina aqui a minha homenagem a Dr. José Maria Pereira de Melo, com alguns defeitos, porém uma pessoa muito importante para nossa cidade.

Nenhum comentário:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE