RIO PARAÍBA DO NORTE: NASCE NA ZONA RURAL DE SALOÁ EM PERNAMBUCO E DESÁGUA NA LAGOA MANGUABA EM ALAGOAS - CLÁUDIO ANDRÉ - O POETA

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Ultimas!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

sábado, 22 de setembro de 2018

RIO PARAÍBA DO NORTE: NASCE NA ZONA RURAL DE SALOÁ EM PERNAMBUCO E DESÁGUA NA LAGOA MANGUABA EM ALAGOAS

Esse é o local exato da nascente do Rio Paraíba do Meio. O rio nasce perene na beira de um açude pertencente a Fazenda São João, na comunidade de Manoel Ferreira, zona rural do município de Saloá, agreste meridional de Pernambuco. Para quem não sabe, Manoel Ferreira, foi o dono de um boteco há quase um século passado.

O Paraíba do Meio nasce no município de Saloá, que há 97 anos passados pertenceu a Bom Conselho, agreste meridional de Pernambuco e sua bacia hidrográfica abrange uma área de 3.330 km² em oito municípios pernambucanos (Bom Conselho, Brejão, Terezinha, Paranatama, Caetés, Garanhuns, Saloá e Lagoa do Ouro) e doze alagoanos (Quebrangulo, Palmeira dos Índios, Paulo Jacinto, Viçosa, Cajueiro, Capela, Atalaia e Pilar). 

Da sua nascente, o rio percorre 122 quilômetros  e deságua na Lagoa Manguaba, no município de Pilar, no estado de Alagoas. No solo do município de Saloá, ele nasce perene, mas, com pouco mais de 200 metros de percurso o rio torna-se temporário. Qual seria o motivo?

Veja que nesse local que faz parte do percusso do rio, percebe-se que a nascente se prolonga por alguns metros dentro da propriedade, mudando totalmente a vegetação, ou seja, nas laterais vegetação rasteira sofre com a estiagem prolongada e no curso do rio a água infiltrada no solo da um tom de vivacidade, graças ao verde que perdura.

A partir desse local onde nasce, vários afluentes de pequeno porte formam a bacia do rio Paraíba do Meio, que apresentam um regime de enxurrada durante a estação chuvosa (março a setembro). Riachos e alguns rios temporários deságuam no rio até o seu encontro com a Lagoa Manguaba no município de Pilar em Alagoas.

O IMA e o IBAMA do estado de Alagoas estiveram reconhecendo a nascente do Rio Paraíba do Meio, porém, não se comprometeram com os proprietários da terra para se fazer um reflorestamento no entorno da nascente e parte do curso do rio. O nome Rio Paraíba do Meio surge por que se refere a sua posição entre os outros dois rios que recebem o mesmo nome: o rio Paraíba do Norte, localizado no estado da Paraíba, e o rio Paraíba do Sul, situado na região sudeste.

O projeto Poeta Viagens e Aventura botou o pé na estrada mais uma vez e na oportunidade foi parar na Comunidade Manoel Ferreira, mais precisamente na Fazenda São João, na zona rural de Saloá. Essa fazenda é centenária e pertence a família do senhor José Cícero Souto ou Cícero Herculano, que faleceu muito jovem, com apenas 47 anos de idade.

Esse blogueiro foi recebido por dona Isabel Cristina Calado Torres Souto, 64 anos de idade, mãe de 07 filhos, sendo 03 que ela deu a luz e 04 que ela adotou. Dona Isabel, professora de Geografia, uma pessoa dócil, educada, muito inteligente, uma grande dona de casa, sempre com seu sorriso que transmite muita paz, nos deu uma grande aula de humanismo. Conversamos muito como se já nos conhecêssemos há muitos anos.

A Fazenda São João pertenceu ao senhor Eleodório de Barros Silva ou Eleodório Herculano, como era conhecido por todos. Ele nasceu no dia 11 de setembro de 1902 e faleceu em 1992, com 90 anos de idade. A propriedade tem mais de mil hectares de terra e por felicidade do destino é justamente onde nasce o Rio Paraíba do Norte.

Cravada no agreste meridional de Pernambuco, a Fazenda São João supera os desafios da seca que assola a região. Com vegetação de caatinga e com muitas árvores frondosas, a fazenda torna-se num ambiente aconchegante, pois os alpendres da principal casa onde mora dona Isabel Herculano e seu filho Dudu Herculano, serve de ponto de encontro de amigos, familiares e visitantes.

O agropecuarista e empresário Dudu Herculano, juntamente com sua mãe, dona Isabel Herculano, são muito receptivos. Com eles, pudemos passar um manhã de sábado diferente, com boas conversas, gargalhadas e muitas histórias a contar.

Coincidência ou não, durante a nossa visita a Fazenda São João, encontramos uma turma muito boa para contar causos e tomar aquela misturada. O ex-vereador por Terezinha, Gatón, esteve liderando a turma com o anfitrião Dudu Herculano.

Queremos agradecer ao amigo Dudu Herculano pela receptividade. Ele compreendeu o projeto Poeta Viagens e Aventura e nos deu toda assistência para que tivéssemos conhecimento da importância de proteger o meio ambiente. Bem ao lado de sua residência está a nascente de um dos importantes rios da nossa região.

O senhor Heleno, funcionário da Fazenda São João, foi mostrar e contar um pouco mais sobre o descobrimento da nascente do rio Paraíba do Meio para nossa reportagem. O açude que se formou perene graças a nascente, tem aproximadamente 21 metros de profundidade e mais de 01 km de diâmetro. Há dois anos, devido a estiagem muito prolongada, esse lago secou por que a nascente também secou. Mas com a limpeza do local, tudo voltou a ter vida e água começou a brotar do solo. 

Por essa foto vocês percebem o quanto tem de água infiltrada no solo, fruto da quantidade d'água que sai da nascente. A vegetação esverdeada é reflexo da riqueza que existe no lençol freático do ambiente.

As precipitações na bacia hidrográfica do Rio Paraíba do Meio vão de 600 mm de chuva no agreste pernambucano e até 1900 mm na região do litoral alagoano, exposta a úmidos ventos alísios. É de se estudar por que há poucos metros da nascente o rio deixar de ser perene e torna-se temporário.

A palavra Paraíba é um termo de origem tupi que significa «água/mar ruim» [para beber], através da junção dos termos pará (mar) e aíba (ruim), traduzindo, "água ruim para beber". As águas do Paraíba do Meio apresentam diversos usos em território alagoano, como a produção de açúcar e álcool, irrigação de canaviais, além de sanear as cidades às suas margens e servir de esteio à pesca, ao turismo e ao lazer. O rio gera ainda energia hidrelétrica.

É ao redor dessa árvore que perdeu sua folhagem (que não devia, já que tem água por todos os lados), está o surgimento da água que transforma a nascente do rio. Devido a vegetação que cresceu e por ter muita lama, não foi possível mostra o olho d'água da nascente do Paraíba do Meio.

Ao redor da nascente já existem várias árvores, mas, se o IBAMA ou IMA de Alagoas tivessem interesse, ajudariam na preservação da nascente do rio juntamente com os proprietários da Fazenda São João. A nascente está localizada no extremo oriental da Serra do Gigante, ao norte de Bom Conselho, a cerca de 800 m de altitude.


SAIBA MAIS
A bacia do rio Paraíba do Meio possui uma área total de 3.127,83 km², definida por um perímetro de captação de 459,69 km. 
Do total da bacia, 1.175,33 localizam-se no Estado de Pernambuco, limitada por perímetro de 217,96 km, percorrendo 45,41 km neste Estado com um regime fluvial intermitente.  
Em território alagoano, a bacia é completada por 1.952,50 km² (62,4% do total) com perímetro de 241,64 km, neste percorrendo mais de 126,57 km com regime fluvial perene até a desembocadura no Complexo Mundau-Manguaba.

A PRÓXIMA VIAGEM SERÁ PARA A FOZ DO RIO 



Esse projeto teve os seguintes PATROCINADORES










Nenhum comentário:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE