A VEGETAÇÃO DA CAATINGA SOBREVIVE AO LONGO DO TEMPO DEIXANDO GRANDES LIÇÕES PARA O HOMEM - CLÁUDIO ANDRÉ - O POETA

Ultimas!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

segunda-feira, 5 de março de 2018

A VEGETAÇÃO DA CAATINGA SOBREVIVE AO LONGO DO TEMPO DEIXANDO GRANDES LIÇÕES PARA O HOMEM


Assim é o sertão. Do nada ou do quase nada aparece um colorido diferente, fruto da mistura da vegetação. Choveu um pouco, já se viu, logo, a paisagem se transforma.
Aos poucos fui mapeando as geoformas das pedras e as pinturas rupestres encontradas ao longo da Serra do 42. Nessa foto, onde estou em cima da pedra, na parte inferior fica uma pequena cabana, onde tem marcas do homem pré-histórico.
Nesse paredão rochoso há uma grande mistura de cores em volta da serra. Onde você pensa que não tem vida, graças a influência dos pássaros, deixa sementes de plantas da localidade e termina germinando em cima das pedras.
Olhando o horizonte de um ângulo diferente, assim, me inspirou essa linda formação rochosa no sertão da Bahia.
Uma mistura de vegetação de caatinga, com pedras e suas geoformas e uma temperatura acima dos 35 graus, porém, no período mesmo de verão, ultrapassa os 40 graus centígrados.
A Região Nordeste possui uma vegetação muito rica e diversificada e apresenta fauna e flora exuberante. Ao longo das áreas litorâneas são encontrados mangues, vegetação de dunas.
O sertão, também conhecido como sertão nordestino, é uma das quatro sub-regiões da Região Nordeste do Brasil, sendo a maior delas em área territorial. Estende-se pelos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe.
Para chegar a Caverna da Serra do 42, tem um desafio particular, atravessar uma brecha entre duas fendas. Quem precisar de muita largura para atravessar, não se invente.

Com relevante potencial forrageiro e medicinal, uma das plantas ainda bastante encontrada no semiárido brasileiro é a catingueira, também conhecida em algumas regiões como “pau-de-rato”. 

No período de floração, entre os meses de outubro e fevereiro, a planta da família das fabaceae é facilmente encontrada.
Imagine você no meio da caatinga e de repente aparece um bonito arco-íris! Não se pode deixar de registrar um momento como esse.


Uma estrada. Uma igrejinha. Uma temperatura beirando os 40 graus. Uma vegetação rasteira, mas, que impõe respeito. Isso é o sertão, eu amigo!

O coqueiro com carregado de coco ouricuri bem madurinho... O gado gosta. Interessante que os animais (bois, vacas), comem a casca, engolem e depois bota pra fora o coco bem lisinho que se mistura com a terra. Pronto para ser quebrado e a gente comer a amêndoa que tem dentro dele. Quem não viveu isso no sertão, não é sertanejo.
Eis uma morada do homem primitivo... Uma pequena cabana feita de pedra para se proteger do frio, da chuva e das altas temperaturas do sertão.
Foi nesse lugar que descobri pinturas rupestres, desenhos feitos pelo homem primitivo há milhões de anos passados. As pinturas estão bem visíveis e intactas, coisa que o tempo não apagou.

Seja qual for o ângulo, a beleza da imagem vai estar espalhada por todos os lados.

Nenhum comentário: