IGREJA DE NOSSA SENHORA DOS PRAZERES EM BARRA DO IPANEMA, ALAGOAS, COMPLETARÁ 394 ANOS DE CONSTRUÇÃO - CLÁUDIO ANDRÉ - O POETA

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Ultimas!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

IGREJA DE NOSSA SENHORA DOS PRAZERES EM BARRA DO IPANEMA, ALAGOAS, COMPLETARÁ 394 ANOS DE CONSTRUÇÃO

A Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres, localizada em uma serra no meio do Rio São Francisco, hoje, Barra do Ipanema, no município de Belo Monte, Alagoas, foi construída no ano de 1624, período que os Holandeses invadiram o Brasil. Não se sabe o certo quais motivos fizeram os Holandeses chegarem em território brasileiro.
Estive conhecendo na manhã dessa segunda-feira de carnaval, 12/02, toda a estrutura que a Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres, foi construída. Moradores da região estão recuperando o telhado e parte da madeira que está sendo consumida pelo tempo. A igrejinha, no alto da serra e com uma vista maravilhosa do Rio São Francisco, tem paredes muito largas, feitas de barro e tijolos, telhas pesadas e algumas com escritas difícil de entender a mensagem deixada há praticamente 394 anos.

O piso superior da igreja ainda está coma a mesma madeira de quando foi construída. Possivelmente, esse era o lugar onde os padres provindos da Holanda, se reuniam estrategicamente. A madeira resistente ao tempo, sustentam a construção. A imagem original de Nossa Senhora dos Prazeres, encontra-se em outra igreja da comunidade de Barra do Ipanema, enquanto se recupera essa outra igreja. Barra do Ipanema, na verdade, é uma Colônia de Pescadores, onde moram cerca de 30 famílias.

O altar da Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres, resiste ao tempo. Está intacto mesmo passados 394 anos de construção da igreja. Segundo relatos, os Holandeses chegaram de navio que atracaram na lateral do morro e por isso conseguiram "certa facilidade" de subirem com o material para construir a Igreja logo quando eles chegaram, mesmo o morro rodeado de águas profundas naquela época.
Segundo um morador, o piso feito de madeira, abaixo tem túmulos com restos mortais. Até agora não se sabe quem foram as pessoas enterradas nessa igreja de 394 anos de construção. Especula-se que sejam padres ou familiares holandeses que morreram e o único lugar para enterrar tenha sido dentro da igreja. Há muito mistério sobre isso.

No morro no meio do Rio São Francisco está a Igreja da padreira do Povoado de Barra do Ipanema. Um verdadeiro desafio para subir e chegar até lá. Na frente da igreja, tem um cruzeiro, colocado para ser usado para pagar promessa e símbolo da fé cristã e ao mesmo tempo, um túmulo com  os restos mortais do senhor Francisco Pereira Bomfim, falecido em 1918, quando completou seus 70 anos de idade. Na história não diz o motivo de tê-lo enterrado em cima do morro.


O teto da Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres, feita de Jatobá, serve de esconderijo para morcegos. Veja que na foto que fiz alguns apareceram voando o alta da igreja. Todo dia 27 de agosto, acontece a celebração da festa da padroeira da comunidade.  O cenário paradisíaco da região, foi relatado pelo padre Francisco José Correia de Albuquerque, um dos fundadores de Santana do Ipanema, pregador de várias missões.
O senhor José de Marinalva, morador da Barra do Ipanema, mostrou um dos túmulos que fica dentro da Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres, na zona rural de Belo Monte, Alagoas. Uma das características mais marcantes são as campas de enterramento, ainda em madeira original do século XVII. 

Em mais um tour pelo sertão de Alagoas, conheci mais uma pessoa simples e maravilhosa, que foi o senhor Zé de Marinalva, pescador, zelador da igreja e morador da comunidade. Esteve nos acompanhando por vários pontos culturais à beira do Velho Chico.

Essa telha foi encontrada no teto da Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres, com escritas antigas, porém sem tradução legível.

Nenhum comentário:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE