IMPUNIDADE: Homem que matou atleta atropelado em Maceió paga fiança de dois salários mínimos para ser solto



R$ 2.424. Este foi o valor da fiança paga pelo homem que atropelou e matou o corredor Anderson Andrade, de 35 anos, para não ficar preso pelo crime que cometeu. A informação, divulgada pela Polícia Civil de Alagoas, causou revolta entre a população. A identidade do preso não foi divulgada.

Nos comentários da publicação, uma pessoa comentou, utilizando emojis de palmas, com palmas e disse: “R$2.200,00 vale uma vida em Alagoas”, fazendo referência ao valor da fiança, que foi de dois salários mínimos. Desde janeiro deste ano, o salário mínimo é de R$ 1.212. 

Outro internauta diz: “A vida de um ser humano aqui no estado de Alagoas vale R$2.200. Então, vocês que gostam de beber e dirigir sem ter a sua CNH, já sabem, deixem de reserva esse valor aí porque se você matar um pai de família é esse o valor dele."

O atropelamento aconteceu no último sábado (26), às margens da BR-104, no bairro Cidade Universitária, em Maceió, em frente ao Sistema Prisional Alagoano. O atleta morreu no domingo (27), no Hospital Geral do Estado (HGE). 

O motorista que cometeu o crime foi autuado, segundo a Polícia Civil, por lesão corporal culposa na direção de veículo automotor, e também por dirigir sem que tivesse Carteira Nacional de Habilitação (CNH).


Outro fator que gerou revolta entre a população foram as imagens de videomonitoramento que flagraram o fato. As imagens mostram Anderson correndo tranquilamente quando é surpreendido pelo carro. A pancada é tão grande que Anderson é arremessado para longe do carro.

“Até quando? Até quando as pessoas vão matar as outras por irresponsabilidade e ficar por isso mesmo?”, questiona um internauta da Gazetaweb acerca do vídeo. “Vão precisar de mais quantas vítimas para poder mudar as leis?”, pergunta outro.

da Gazeta Web

Postar um comentário

0 Comentários