Banzaê/BA: Convivendo com os índios Kiriris e Tuxás

Estou nesses dias tendo um experiência sensacional na comunidade indígena dos Kiriris no município de Banzaê, norte baiano. Aprendendo novo dialeto e convivendo com uma cultura totalmente diferente e cheia de rituais.
A pedra Furada é o principal atrativo turístico de Banzaê, região indígena dos Tuxás e Kiriris. Um paredão rochoso de arenito com mais de 20 metros de altura que ainda está em transformação.

A pedra Furada é um rochedo sedimentar de arenito, esculpida pela ação do intemperismo físico e químico. O atrativo turístico é ideal para acampar. O acesso é de fácil para moderado.
Do ponto de apoio até o cume da serra do Gancho, percorre-se a pé por 03 km, por uma trilha sinuosa e escorregadia, pois todo o trecho o solo é de arenito.

Com uma vegetação de transição, a região da serra do Gancho serve de berço para as araras azuis. A arara-azul-de-lear é uma espécie de arara da família Psittacidae e gênero Anodorhynchus. É endêmica do Raso da Catarina, nordeste do estado da Bahia, Brasil.

Os paredões de Arenito impressionam com o tamanho e suas geoformas. Com altitude acima dos 400 metros de altitude, os blocos de arenito (ideal para o revestimento e fabricação de vidro), tem formatos e tamanhos singulares.

Um dia, uma semana, é pouco para conhecer os atrativos turísticos de Banzaê, distante pouco mais de 300 km da capital Salvador.

Por volta de 1910, comerciantes e viajantes de Sergipe criam um ponto de pouso e uma feira, para vender os seus produtos com os habitantes locais, em torno da qual forma-se o povoado conhecido como "Banzaê", topônimo de origem indígena significando "terra dos valentes".

Para saber mais acesse nosso portal de turismo 

Postar um comentário

0 Comentários