É FATO. HOUVE CONLUIO NA LAVA JATO, ESCREVE PIÚTA - CLÁUDIO ANDRÉ - O POETA

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Ultimas!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

sexta-feira, 30 de agosto de 2019

É FATO. HOUVE CONLUIO NA LAVA JATO, ESCREVE PIÚTA

É fato. Houve conluio na Lava Jato tem sido comum às pessoas antes de apontar desvios cometidos pelo pessoal que conduziu a
operação Lava Jato declarações do tipo: “a Lava Jato é importante, tem que continuar”, afirmativas que mais parecem pedidos de desculpas antes de qualquer posicionamento.

A lei vale para todos. O Judiciário deve ser o mesmo em qualquer parte do país. Juízes devem decidir conforme a previsão legal. Os processos devem respeitar o rito.

Contudo, as revelações trazidas à público pelo site “The intercept Brasil” em parceria com a Folha de São Paulo, revista Veja e outros órgãos de comunicação, revelam que a operação Lava Jato foi muito além do que seriam os papéis de promotores e de juiz do processo.

O país passou a saber que o ex-juiz e hoje Ministro da Justiça, Sérgio Moro, não atuou como juiz, mas sim em parceria com o Ministério Público, na figura do procurador Deltran Dallangnol, na
condução dos processos com intuito de incriminar o ex-presidente Lula e outros envolvidos.

As conversas para as quais não se discute mais a veracidade, pois muitos dos envolvidos já confirmaram o conteúdo, a exemplo de uma procuradora que pediu desculpas essa semana pelo comentário que fez diante da morte da ex-Primeira dama Marisa Letícia. 

Isso, mais os áudios vazados que confirmam os ajustes entre promotoria e o juiz responsável por julgar os envolvidos. Comentários que chocam, e sequer merecem ser repetidos, revelam o nível do pessoal da república de Curitiba.

As informações vindas à público sob codinome Vaza a Jato revelam claramente que o ex-juiz Sérgio Moro, Deltran Dllangnol e outros membros do MP não foram isentos, não trataram os processos como manda a lei. Mostram ainda o ajustamento das iniciativas do Ministério Público, o que é proibido por lei. As divulgações trazem a luz o dia o que pode se chamar de conluio entre os envolvidos, tal foi o nível envolvimento dos justiceiros do Paraná.

Os pedidos de suspeição do juiz e dos promotores se multiplicam e o STF terá que se posicionar sobre a questão. Na última quarta-feira teve um primeiro posicionamento da Corte Maior do país anulando uma sentença do Ex-presidente do BB, por considerar ilegais procedimentos processuais.

Mas, o que se espera é um posicionamento duro sobre esse caso do Supremo Tribunal Federal, pois a não fazer nada o STF poderá contribuir para o sentimento de que a lei no país é apenas um faz de conta para ser usada de acordo com a necessidade.

A aceitação dos desvios cometidos pela turma de Curitiba é um erro a sociedade não pode cometer. Pois, se é fácil pedir para punir sem respeitar a lei os que não são próximos, é necessário também ter em mente que os mesmos descaminhos podem ser cometidos numa situação onde um próximo possa a vítima. Por isso, ´é fundamental e necessário que não haja dúvida sobre a lisura Judiciário, da Polícia e do Ministério Público quanto à aplicação da lei.
As revelações de que se tem conhecimento agora já são suficientes para cobrar alteração de rota e apuração daqueles que, em vez de cumprir a lei, montaram um organização para interferir nos destinos do país e descumprir o ordenamento jurídico, a ponto de fazerem um acordo feito nos Estados Unidos que destinava cerca de R$ 2,3 bilhões para uma entidade (organização não governamental) que seria administrada por procuradores de Curitiba, fato que não aconteceu devido a ampla denúncia que veio à público. 

Os fatos falam por si. É preciso que se dê um fim a tantos desmandos e desrespeito à lei.

por Alexandre Piúta

Um comentário:

Anônimo disse...

Esse é o brasil! Juiz q nao faz o seu papel de direito e jornalistas oportunistas q escrevem e falam mais por suas ideologias do q pela verdade. Verdade é, q no Brasil, é comum q alguém q detenha algum poder financeiro, nao seja julgado de maneira a cumprir a pena conforme manda a nossa constituição. Sabendo disso, o entao juiz Sérgio Mouro, diferente do q muitos acham, nao fez culoio.Simplesmente preveu q a lei nao seria devidamente aplicada se, medidas preventivas nao fossem tomadas. Assim como ele divulgou, com base na lei, portanto é legítimo, o audio de lula conversando com dilma a cerca de um cargo, q seria usado para desviar as investigações e coibiria a açao do juiz e do MP. E seria mais uma historia de corrupção jogada debaixo do tapete e todo o trabalho de anos jogado no lixo, se tal audio nao fosse divulgado. entao,nao é crime vc usar de meios legais para prender bandido. Lula ta preso e é assim q ele deve permabecer. E que venham os proximos.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE