AS RIQUEZAS NATURAIS DO NOSSO NORDESTE DESCOBERTAS PELO BLOG DO POETA - CLÁUDIO ANDRÉ - O POETA

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Ultimas!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

domingo, 4 de agosto de 2019

AS RIQUEZAS NATURAIS DO NOSSO NORDESTE DESCOBERTAS PELO BLOG DO POETA

Temos viajado pelo estado de Pernambuco, é no agreste meridional que já descobrimos lugares interessantes que são verdadeiros pontos turísticos. Na imagem acima, registra minha visita ao Caldeirão do Urubu, onde há um grande lajeiro, em cima, várias rochas com suas geoformas, como por exemplo, a rocha que tem duas geoformas. De um lado, imagina-se que seja uma tartaruga, por outro lado, uma concha.
Nas minhas pesquisas sobre a nascente e foz do rio Ipanema, há um ano atrás, localizamos no leito do rio vários tipos de rochas e uma situação geográfica privilegiada.

Para quem vai conhecer a cidade histórica de Piranhas, no sertão de Alagoas e deseja subir os degraus para chegar ao marco dos 500 anos de descobrimento do Brasil, pode parar nesse ponto para da uma respirada e recuperar o fôlego, já que são pouco mais de 200 degraus para subir. A cidade foi reconhecida como patrimônio histórico nacional pelo IPHAN, a única tombada no semiárido nordestino. 

São pouco mais de 20 mil habitantes distribuídos entre casinhas coloridas, mirantes e um rio 100% nacional, o São Francisco. Piranhas acabou entrando para a história brasileira por ter sido o local onde as cabeças de Lampião e de seu bando ficaram expostas após a decapitação durante uma emboscada na Grota do Angico.
Aliás, foi daqui que a volante comandada pelo Tenente João Bezerra saiu para caçar o homem mais procurado pela polícia nordestina na década de 30.

Altemar Dutra, o cantor das multidões, foi o turista mais assíduo da cidade de Piranhas/AL, até hoje vive na memória do povo. E o cantor dá nome a uma rua, pizzaria, lanchonete. Ele e o povo de Piranhas tinham muito em comum: as serestas e a pesca.

No lajeiro do riacho da Luiza, zona rural de Venturosa, no agreste meridional de Pernambuco, você compreende a riqueza da flora e da fauna da caatinga. Os formatos e tamanhos das rochas impressionam. Entre cactos e toda a vegetação de caatinga encontramos rochas graníticas espalhadas em cima de lajeiros.

QUER SABER MAIS
ACESSE O NOSSO PORTAL DE TURISMO

Nenhum comentário:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE