O SERROTE DO VENTO POR VÁRIOS ÂNGULOS. UM AFLORAMENTO ROCHOSO DE MILHÕES DE ANOS - CLÁUDIO ANDRÉ - O POETA

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Ultimas!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

segunda-feira, 22 de abril de 2019

O SERROTE DO VENTO POR VÁRIOS ÂNGULOS. UM AFLORAMENTO ROCHOSO DE MILHÕES DE ANOS

Um afloramento rochoso existente na divisa dos estados de AL/PE é bastante conhecido pelo nome de Serrote do Vento, localizado na zona rural do município de Estrela de Alagoas.

O acesso para chegar a esse ponto turístico é fácil e rápido. Quem está em Pernambuco o acesso é pela PE-218 e AL-115, quando você pode entrar pelo sítio Salgadinho ou pelo distrito de Logradouro dos Leões (zona rural de Bom Conselho/PE) e pelo Povoado Luciana (zona rural de Palmeira dos Índios/AL), mas para isso é necessário descer a serra das Pias.

A grande rocha tem boa parte de suas laterais encobertas de uma vegetação típica da caatinga. O serrote do Vento fica numa propriedade particular pertencente ao agricultor Benedito que reside há poucos metros desse local que a natureza caprichou.

O entorno do Serrote do Vento é uma região de fruticultura, rica na produção de caju, manda, jaca e pinha, além da plantação de palma que serve de comida para o gado.

O sítio serrote do Vento, segundo informações, existem cadastrados pelo menos 84 endereços, sendo, 42 domicílios particulares, 29 estabelecimentos agropecuários, estabelecimentos de outras finalidades (comercial, religioso, outros), 146 moradores com rendimento médio estimado de R$ 208,20.

Você pode até achar que as imagens são iguais, até podem ser, mas, observem os ângulos diferenciados. Existem projetos para tornar o Serrote do Vento numa área de proteção ambiental e oficialmente num ponto turístico, segundo uma das filhas do proprietário das terras onde fica o serrote.

Durante a sexta-feira da Paixão o serrote do Vento recebe visitantes de vários lugares. Uns, vão pagar promessas, mas, a maioria vai pra curtição, tomar vinho, papear, curtir a natureza.

Estrela de Alagoas é conhecida como a terra do tatu-bola (que deu origem ao antigo povoado Bola), terra da pinha, onde o município também é rico em fruticultura. Enfim, ter um contato com a natureza faz bem a saúde. 

O Serrote do Vento é justamente por que além de ficar num ponto muito alto, o vento é cortado em forma de serrote pela montanha de pedra. Toda a vegetação que fica no entorno do serrote é de característica de caatinga.

Desse lado, quem sobe os 468 metros de altitude tem a vista panorâmica da divisa de Pernambuco com Alagoas. Observem que nessa região há muito desmatamento, deixando o solo ainda mais seco e sem produtividade.

Por esse ângulo, da pra visualizar a quantidade de estradas vicinais que servem para deslocamentos entre os estados de AL/PE.

Por essa estrada você tem acesso aos municípios de Bom Conselho/PE e Minador do Negrão/AL.

São 570 metros de trilha para chegar ao cume e sentir ar puro batendo no rosto. Quando está na parte mais alta do serrote, marca-se 468 metros de altitude acima do nível do mar.
Somente quem sobe o serrote é que tem o privilégio de ter essa imagem. Cactos, plantas que vivem em rochas e uma temperatura na casa do 30 graus, além de uma ventilação fantástica, faz do passeio inesquecível.

Para onde você olhar vai encontrar uma vista sensacional. A serra das Pias fica lá no horizonte. Todo o lado esquerdo da imagem pertence a Pernambuco.

Por toda a rocha que compõe o serrote você se depara com a presença de linques de cor alaranjada espalhados no cume da grande rocha granítica.

Estrela de Alagoas é um município do estado de Alagoas, que no passado pertenceu ao município de Palmeira dos Índios. Sua população estimada em 2004 era de 16.729 habitantes. O antigo povoado Bola (por ter na época o animal conhecido por tatu-bola), conseguiu sua independência e fica numa região de fruticultura.

Os linques  resultam de uma associação mutualística entre fungos e algas unicelulares ou cianobactérias. O componente heterótrofo da associação é um fungo, geralmente um ascomiceto, e é chamado de micobionte; ele predomina na associação. O componente fotossintetizante é unicelular e chamado de ficobionte, podendo ser uma alga verde ou uma cianobactéria. 

A associação é tão íntima e equilibrada que durante muito tempo os linques foram considerados vegetais, pois pareciam um único tipo de organismo. Eles crescem em ambientes onde normalmente o fungo ou a alga não sobreviveriam de forma independente, como em regiões muito frias ou ambientes terrestres relativamente secos. Quanto às substâncias nutritivas, a alga cede ao fungo produtos da fotossíntese e, em troca, recebe sais minerais.

E para chegar lá percorri 12 km em 2 horas e 03 minutos, gastei 900 calorias. Um esforço que valeu apena! Quando se chega no cume do serrote todo o suor derramado é compensado pela vista panorâmica e o ar puro que respiramos.

Nenhum comentário:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE