AS PEDRAS, AS GEOFORMAS E AS HISTÓRIAS DO RIACHO DA LUIZA NO AGRESTE MERIDIONAL DE PERNAMBUCO - CLÁUDIO ANDRÉ - O POETA

Ultimas!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

terça-feira, 4 de setembro de 2018

AS PEDRAS, AS GEOFORMAS E AS HISTÓRIAS DO RIACHO DA LUIZA NO AGRESTE MERIDIONAL DE PERNAMBUCO


Encontrei em Venturosa, agreste de Pernambuco, uma rocha que tem três geoformas, mas, vai depender do seu olhar. Eu diria que seria assim. A pedra da Concha ou a pedra da Rabeca (instrumento de cordas), vista por trás e pela frente, a pedra da Tartaruga.

A Pedra da Tartaruga é uma rocha sedimentar dentro de uma diversidade da morfologia granítica e sua originalidade imprime um cunho muito próprio e único às áreas de montanha granítica, como no caso da Serra Redonda por onde é rodeada por uma rocha com pelo menos 01 km de comprimento.

A Pedra da Andorinha fica em cima do lajeiro do Urubu. Não é por acidente que ocorre essas geoformas nas pedras, geralmente, ocorrem por atividades de erosões vulcânicas.

Podemos identificar na serra Redonda, no sítio Riacho da Luiza, em Venturosa, um diversificado conjunto de paisagens características das áreas graníticas: paisagens de “caos de blocos”, paisagens de relevos residuais e associadas a estas paisagens estão as formas graníticas. 

A gênese e evolução destas formas graníticas foi proporcionada por um conjunto de factores (de ordem climática, litológica e estrutural), interligados entre si, que se conjugaram para o aparecimento de uma enorme variedade de formas.

As geoformas encontradas na trilha do Urubu, no município de Venturosa, podem ser subdivididas em dois grandes grupos: as formas de pormenor, de dimensão centimétrica a métrica (pias, tafoni, fendas e sulcos lineares) e as formas maiores, de dimensão hectométrica ou quilométrica (tors, castle koppie, domos rochosos e alvéolos).

Esse xique-xique só esta nessa pedra por que há água acumulada e nem precisa ser muita. Um pequeno espaço ou uma simples rachadura já é o suficiente para germinar cacto desse tipo.

A estruturação das rochas encontradas nessa região da zona rural de Venturosa, basicamente, o resultado da deformação varisca (ato ou efeito de deformar; modificação da forma primitiva). Reconhecem-se duas fases principais de deformação, às quais se seguiram outras deformações mais tardias e alguns episódios de fraturação. 

No pé da Serra Redonda, muitas outras geoformas de pedras você pode visualizar, sinal que a erosão vulcânica nesse lugar há milhões de anos, teve grande influência em toda a geografia do lugar.

Você no mínimo quer saber se foi fácil chegar ao cume dessa rocha, não é? Pois bem, também não foi difícil, apenas diferente. Uma sensação de liberdade, ainda bem que o homem não tem asas para voar.

Mas tem que se amostrar mesmo, afinal, estar num ambiente assim não é para todo mundo e qualquer hora. A pedra da Tartaruga fica numa localização privilegiada. Precisa ver a vista panorâmica dessa cordilheira.

Lá na frente está a Serra do Tará, onde o potencial da energia eólica chegou e mudou a vida do homem do campo dessa região. Somente nessa serra são mais de 50 torres de energia eólica o energia renovável produzida pelo vento.

Se você preferir, a Pedra da Concha ou Pedra da Rabeca, mas, por esse ângulo. Quer ir conhecer lá? Pega a BR-424, chegue na Vila do Tará, chegando lá, procure o morador chamado de Gui, filho do senhor Zé Bento. Daí por diante a aventura está garantida. A temperatura nessa região de Venturosa fica na casa dos 28 a 35 graus.
Para mais informações pelo whatsApp (87) 9 8116-2552
Nas próximas horas, publicaremos um vídeo.

Nenhum comentário: