CHULÉ NÃO É FALTA DE HIGIENE, DIZ DERMATOLOGISTA - CLÁUDIO ANDRÉ - O POETA

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Ultimas!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

CHULÉ NÃO É FALTA DE HIGIENE, DIZ DERMATOLOGISTA

Por G1, São Paulo
No verão, transpiramos mais. Por isso, os cheiros podem ficar mais fortes e ruins. Os grandes responsáveis por esse inconveniente são os pés e as axilas – os famosos chulé e cecê. Os dermatologista Márcia Purceli, que também é consultora do Bem Estar, e Emerson de Andrade Lima falaram sobre os cuidados importantes nesses dias quentes no programa desta quarta-feira (17).
O nome desse mau cheiro é ‘bromidrose’. Ter chulé ou aquele cheiro de desodorante vencido não é falta de higiene, é uma quantidade maior de um tipo de bactéria que causa o odor. O cheiro ocorre porque essa bactéria solta uma substância no final do metabolismo.

Cuidados com os pés
Sapatos fechados, com meia e pés úmidos propiciam o surgimento de bactérias e fungos. Por isso, é importante:
Lavar e secar bem os pés
Colocar o sapato no sol
Alterar os sapatos
Usar desinfetante no sapato
Não repetir as meias
Usar desodorante para os pés ou talco

Essas ações devem ser feitas diariamente para ter um bom resultado. Quando não são feitas, os fungos e as bactérias voltam a se proliferar e o cheiro também volta.

Cuidados com as axilas
Nas axilas, temos a ação de duas glândulas sudoríparas – écrinas (responsáveis por manter a temperatura corporal) e apócrinas (elas produzem um tipo de suor completamente diferente, mais oleoso). Os dermatologistas lembram que o suor é composto por água e sal e não tem cheiro.

Nenhum comentário:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE