Sal em excesso aumenta em até 73% o risco de diabetes - CLÁUDIO ANDRÉ - O POETA

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Ultimas!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

DISTRIBUIDORA SÃO MARCOS - A Nº 1 DE BOM CONSELHO

sábado, 21 de outubro de 2017

Sal em excesso aumenta em até 73% o risco de diabetes


O sal já é velho inimigo dos hipertensos. Agora, de acordo com um novo estudo apresentado durante congresso da Associação Europeia para Estudos do Diabetes, em Portugal, cada grama de sódio (ou cada 2,5 gramas de sal)consumido em excesso pode elevar em até 43% o risco do indivíduo desenvolver diabetes tipo 2 e em 73% o risco de diabetes autoimune latente em adultos (Lada), variação da doença em que anticorpos também afetam a produção de insulina.
Segundo orientações da OMS, o consumo diário de sal deve ser limitado a cinco gramas de sal, equivalente a duas gramas de sódio.

Sal e diabetes
Segundo os pesquisadores, do Instituto Karolinska, de Estocolmo, na Suécia, além de levar à hipertensão, o sódio pode impactar a resistência insulínica. Estudos anteriores já haviam sugerido uma associação entre o consumo excessivo de sal e o diabetes tipo 2, mas nenhum observou como o consumo do sal também poderia afetar a forma autoimune da doença.

“Dada a característica autoimune do diabetes latente, uma dieta com alto teor de sódio pode acelerar a ação dos anticorpos e desempenhar um papel na patogênese da doença”, disse Bahareh Rasouli, líder da equipe de pesquisa, ao Medical News Today.

Diabetes auto-imune latente
O diagnóstico do diabetes auto-imune latente é frequentemente confundido com o diabetes tipo 2 por causa aos sinais semelhantes. No entanto, nessa variação da doença, o próprio sistema imunológico ataca as células que produzem insulina, de forma muito parecida com o diabetes tipo 1.

A diferença é que a latente tem uma progressão muito mais lenta, surgindo apenas na vida adulta. Muitas vezes, um paciente com diabetes latente recebe um tratamento para diabetes tipo 2 e não percebe melhora, pois os anticorpos continuam a atacar.

Estudo
No estudo, os cientistas analisaram dados de uma pesquisa de saúde feita na Suécia, que obteve informações sobre a dieta de indivíduos com as condições – 355 com diabetes autoimune latente e 1136 com diabetes tipo 2 – e compararam com dados de outras 1.379 pessoas saudáveis.
Os participantes foram divididos em grupos conforme a quantidade diária de sal que consumiam, consumo baixo (até seis gramas), consumo médio (até 7,9 gramas) e consumo alto (mais de 7,9 gramas).

Nenhum comentário:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE